As Redes Sociais convidaram-me para visitar Portugal. É verdade!

Como é que Social Selling afeta o turismo em Portugal

“Uma senhora que está Malásia envia uma mensagem, via Linkedin, para um indivíduo em Portugal e ela, por sua vez, trabalha para uma empresa irlandesa, mas é de Kuala Lumpur que faz o convite para ser orador num evento que vai acontecer na Arábia Saudita.”, este foi o exemplo mais recente que ouvi sobre o mundo nos dias de hoje. A forma de comunicar e interagir mudou completamente e, muitas das vezes, nem vale a pena querer entender como (tal é a velocidade da mudança), mas sim estar preparado para acompanhar esta mudança. Temos de aceitar que mudou!

O Social Selling faz parte desta mudança e é, por isso, um tema muito atual e quente, uma vez que começou a ganhar cada vez mais importância, precisamente pela forma como as pessoas se conectam e comunicam hoje em dia.

Afinal o que é o Social Selling?
É alavancar as redes sociais para encontrar as os clientes certos, criar relacionamentos confiáveis e, finalmente, alcançar os objetivos de vendas. Esta técnica de vendas permite uma melhor geração de leads e uma prospecção mais eficaz e elimina a necessidade de chamadas a frio. Construir e manter relacionamentos é mais fácil dentro da rede onde estamos presentes com os nossos clientes.” by Linkedin

Mas para melhor compreender a importância de uma estratégia de Social Selling vamos a alguns números:
• Existem atualmente cerca de 2,5 biliões de utilizadores de redes sociais;
• O Facebook tem 2 biliões de utilizadores ativos mensais;
• O Instagram é a rede com maior crescimento, tem atualmente 700 milhões de utilizadores ativos mensais;
• O Linkedin chegou aos 500 milhões de utilizadores;
• 92% dos marketeers incluem o LinkedIn no seu marketing mix atual;

É mais do que evidente que somos todos “sociais” (vocês que está a ler este texto pare agora mesmo e pense com que frequência utilizas as suas redes), são biliões de oportunidades de comunicar para potenciais clientes, fornecedores, parceiros, etc.

Num mundo Business-to-Consumer (B2C) a utilização das redes sociais já são há muito tidas como os veículos de comunicação mais importantes para as marcas, tal é a forma que permitem diversificar no conteúdo, serem criativos e aproximar a marca dos consumidores.
Mas quando nos centramos no mundo Business-to-Business (B2B) tudo muda de figura, existe uma retração muito grande das empresas em perceber a mudança de paradigma, que é possível ter uma estratégia diferente para os mesmos objetivos, uma estratégia com um ROI (Return Of Investemt) muito mais “apelativo”.

Em Novembro de 2017 fui orador sobre este mesmo tema (Social Selling) no evento Portugal Exportador (Lisboa), que também contou com a presença de João Vasconcelos, ex-Secretário de Estado da Indústria, onde referiu o seguinte “Nunca Portugal esteve tão capaz de competir globalmente e isso deve-se à era digital. É o digital que nos coloca no topo do mundo em muitas áreas e que não tem barreiras para irmos cada vez mais longe.” Concordo 100%.

No Turismo, por exemplo, praticamente todos os players utilizam as redes sociais para se promoverem, para venderem, para atrairem turistas e, muitos deles fazem-no exemplarmente, com grande foco no Instagram, aproveitando o envolvimento visual que esta rede permite e assim “seduzirem” os turistas. Esta é já uma realidade quando queremos chegar ao consumidor final, usamos as redes sociais para uma maior aproximação e capacidade de influenciar a decisão.

No entanto, todos estes players têm uma vertente B2B, onde é necessário criar parcerias, ter clientes corporate e é aqui que o social selling deve estar presente.

Através do Linkedin existe uma ferramenta denominada “Sales Navigator” perfeitamente desenvolvida para dar oportunidade às empresas de encontrarem os seus contactos certos, onde quer que eles estejam.
Uma das grandes vantagens desta ferramenta é precisamente a sua pesquisa avançada, que permite segmentar de variadas formas para que o foco desta atividade de prospecção seja o mais rentável e eficaz possível.

Quer seja para B2C ou B2B existe um elemento comum que tem uma elevada importância neste tipo de estratégia: conteúdos.
Se queremos impactar alguém através das redes sociais é necessário definir bem a mensagem, a imagem/vídeo e o momento, tudo isto deve ser bem delineado mediante os objetivos das marcas/empresas.

O turismo em Portugal tem melhorado a olhos vistos, tem aproveitado as oportunidades e criado mensagens fortes, com impacto visual para conquistar turistas e, resultado disso, temos os hóteis com a taxa de ocupação no máximo, os restaurantes cheios, os eventos (NOS Alive, por exemplo) completamente esgotados, ou seja, são indicadores de que as marcas/empresas têm conseguido aproveitar a era digital para chegar a mais longe e mais pessoas.

“Ele não faz ideia, mas há muito tempo que estão a pensar nele. Quando, no início de cada ano, um estrangeiro se senta em frente ao computador para começar a ver destinos de férias, já centenas de pessoas estiveram a pensar nele. Na melhor forma de o alcançar, de o convencer, de o conquistar.” É assim quem o Público começa um artigo em 2017 sobre o investimento de 10 milhões de euros que o Turismo de Portugal destinou para marketing digital.

Este mesmo artigo refere ainda: “Quando os dinamarqueses, suecos e finlandeses começam a pesquisar por férias em Janeiro, o Facebook deles enche-se de vídeos e referências a Portugal”. Isto é Social Selling com foco no consumidor final, é investir em redes sociais como o meio para atingir o fim.
Sabem que mais?! Resulta!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.





Pode também gostar de

Contacte-nos